“Fazer igual não vai levar a lugar nenhum, fazer melhor é que vai fazer a diferença”

David Feffer – Transformação Empresarial e Social – Amcham

“É possível se fazer transformação empresarial e social simultaneamente”

David Feffer – Amcham

“Só não erra quem não faz, temos que estimular novos erros”

David Feffer – Amcham

“O erro pode machucar, mas não pode matar”

David Feffer – Amcham

“Os líderes da geração 4.0 terão múltiplas habilidades, serão um pouco empreendedores e um pouco advogados, um tanto cientistas e outro tanto romancistas”

David Feffer – Folha

“O novo líder precisará conduzir organizações guiadas por ideias, deverá tirar proveito do crescente nível de colaboração propiciado pelas emergentes tecnologias de informação e de comunicação, terá de vencer barreiras hierárquicas e praticar a cultura do poder descentralizado.”

David Feffer – Folha

“É certo que os novos líderes deverão promover energia, paixão e criatividade.”

David Feffer – Folha

“Portanto, empreendedores, especialmente os jovens, abram suas mentes e apertem os cintos. O futuro bate à porta.”

David Feffer – Folha

“Nós existimos para criar, agir, transformar e realizar”

David Feffer – Suzano

“As pessoas da minha geração, da geração dos meus pais, trabalhavam por grana. E o mundo hoje trabalha por propósito.”

David Feffer – Revista Trip

“O erro é o melhor caminho para o acerto”

David Feffer – FIESP

 “Não existe empresa bem-sucedida sem valores e sem propósito”

David Feffer – FIESP

“Pessoas competentes, motivadas e alinhadas fazem grandes empresas”

David Feffer – FIESP

“Sempre vão haver dificuldades, mas as relações de qualidade são maiores que esses problemas”

David Feffer – FIESP

“Temos que nos preparar para o pior e esperar o melhor”

David Feffer – FIESP

“Minha contribuição talvez tenha sido montar uma estrutura de governança que permite ter um controle sólido e ao mesmo tempo manter a empresa crescendo de forma sustentável.”

David Feffer – Celulose Online

“Nosso modelo de gestão é a nossa fortaleza. Ele está baseado em 3 pilares fundamentais: controle familiar, gestão profissional e comprometimento com nossos stakeholders.”

David Feffer – Estadão

“Empresas são sistemas vivos, dinâmicos e em constante alteração, que reagem aos impactos da competição, dos movimentos disruptivos, da orientação decorrente dos valores empresariais e da necessidade de criar valor constantemente(…)”

David Feffer – Estadão

“Buscamos ser, ao mesmo tempo, fortes em nossos negócios e valores e gentis no relacionamento com nossos stakeholders”

David Feffer – Estadão

“A negociação com si próprio é a negociação mais difícil que existe”

David Feffer – Entrevista William Ury

“A vida que a gente quer depende do que a gente faz“

David Feffer – Linkedin

“O segredo (do sucesso) está no equilíbrio entre o “coração” e a “razão”, ou melhor, entre o sonho e emoção que nos move e a razão e resiliência necessária para realizá-los.”

David Feffer – Forbes

“É certo que uma empresa sem alma, sem amor pelo o que faz, sem um propósito maior com a vida de seus clientes, colaboradores e stakeholders, em geral, tem seus dias contados”

David Feffer – Forbes

David Feffer

David Feffer

Nascido em novembro de 1956, David é o mais velho dos quatro filhos de Max e Betty Feffer. Desde muito jovem, David esteve envolvido com os negócios da família, uma vez que, com muita frequência, visitava a fábrica com seu pai e com seu avô, presenciava conversas entre ambos sobre os rumos da indústria, “vivia”, portanto, a Suzano.

Pouco antes de completar 18 anos, estudante universitário, David passou a trabalhar efetivamente na empresa, começando pela área de transportes (que na época ainda não era conhecida como logística); e aos poucos foi transitando por outros setores, adquirindo conhecimento, “visão de campo”, experiência, até se tornar diretor em meados dos anos 90.

David assumiu a presidência do Grupo Suzano em 2001 e imprimiu um ritmo inaudito aos negócios, gerando as condições necessárias para um crescimento vigoroso e sustentado: criação da Suzano Holding, reestruturação da Suzano Petroquímica e oferta de ações no Nível II do mercado, profissionalização das empresas, adoção de rígidos critérios de governança corporativa, construção e inauguração da nova unidade de celulose de mercado em Mucuri, venda da Suzano Petroquímica e decisão de maior foco na indústria de papel e celulose, que levou à construção da Unidade Imperatriz, no Maranhão, entre outros relevantes movimentos.

David estudou Administração de Empresas na Universidade Presbiteriana Mackenzie, e realizou cursos de especialização na Columbia University (EUA), na Harvard Business School (EUA), no IMD (Suíça) e no The Aspen Institute (EUA).

Além de ocupar a presidência executiva da Suzano Holding e a presidência do Conselho de Administração da Suzano Papel e Celulose, David é membro do Conselho Consultivo Internacional da LafargeHolcim e participa de várias instituições sociais e culturais, dentre as quais destacam-se: Presidente do Conselho Curador da Fundação Filantrópica ARYMAX; Presidente do Conselho Diretor da Escola Alef Peretz; e Vice-Presidente do Conselho Diretor do Instituto Ecofuturo.

Leon Feffer

Leon Feffer

Nascido em Kolki, na Ucrânia, em novembro de 1902, Leon Feffer veio para o Brasil em 1920 e estabeleceu-se como comerciante em São Paulo, atuando na venda de diversos tipos de mercadorias, entre eles o papel. Durante os anos de 1920 e 1930, consolidou e ampliou sua atuação no comércio, abrindo uma tipografia e uma pequena fábrica de envelopes, além de manter uma loja própria. Até que, em 1939, Leon montou sua própria fábrica de papel, instalada no bairro do Ipiranga, que deu origem ao Grupo Suzano.

Durante sua vida, dedicou-se também a várias atividades comunitárias e acompanhou a transição da liderança do Grupo Suzano para seu filho Max. Leon Feffer faleceu em 1999 e deixou, além de sua marca na história do desenvolvimento do setor de papel e celulose no Brasil, o exemplo de como um empresário pode aliar o sucesso nos negócios a uma consistente ação social.

Max Feffer

Max Feffer

Max Feffer nasceu em 1926, em São Paulo, e desde jovem colaborou com o pai na expansão do Grupo Suzano. Nos anos 50, Max liderou pesquisas que visavam desenvolver alternativas para a produção de celulose. Obteve resultados satisfatórios com o eucalipto, que revolucionou a fabricação de papel no Brasil e no mundo e transformou o país de importador para exportador em poucos anos. Também foi responsável pela diversificação e consolidação do Grupo Suzano a partir de investimentos no setor Petroquímico e na profissionalização da gestão.

Max Feffer exerceu o cargo de Secretário de Estado da Cultura, Ciência e Tecnologia de São Paulo entre 1976 e 1979. Em 1999, foi um dos responsáveis pela criação do Instituto Ecofuturo, organização não-governamental mantida pela Suzano Papel e Celulose, que visa promover o desenvolvimento sustentável. Max faleceu precocemente em 2001, com 74 anos.

Conteúdo Relacionado

Conteúdo Relacionado

Deixe seu comentario

© 2016 Grupo Suzano - Todos os Direitos Reservados